Dados da vibração dos motores de água pura da Itaipu serão armazenados em um sistema desenvolvido pelo PTI

Dados da vibração dos motores de água pura da Itaipu serão armazenados em um sistema desenvolvido pelo PTI

15/07/2019

A verificação dos dados dos motores de água pura da Itaipu Binacional, como a vibração dos equipamentos, não é mais feita somente de forma manual. Desde 2015 o Parque Tecnológico Itaipu (PTI), por meio do Laboratório de Automação e Simulação de Sistemas Elétricos (Lasse), trabalha no projeto “Sistema de Monitoramento Remoto de Motores”, (SMRM), uma solução automática que coleta esses dados, processa e apresenta as informações, que podem ser acessadas de forma remota.

 

De acordo com engenheiros responsáveis, esse sistema trouxe mais agilidade ao trabalho. que antes era feito somente de forma manual pelos técnicos da Itaipu. Além disso, permite um acesso mais rápido às informações dos motores, detectando possíveis falhas nos componentes.

 

O Sistema de Monitoramento Remoto de Motores (SMRM) é uma solução de hardware e software que realiza a leitura dos sensores instalados no conjunto motobomba, com capacidade de aquisição de oito sensores de vibração triaxiais (acelerômetros), para 24 pontos de medição. A interface do usuário possibilita o acompanhamento dos valores das medições; o monitoramento das informações quanto ao estado do equipamento, configuração de alarmes, visualizar gráficos de tendências, entre outras ações.

 

O sistema é composto de um painel com sistema embarcado, IHM, fontes de alimentação, e uma mesa pantogrática para movimentação do painel e os sensores que serão instalados nas motobombas. Já em 2018, o projeto também passou a integrar a realidade virtual e aumentada, ambas tecnologias que permitem a visualização dos estados do equipamento por meio de óculos e dispositivos móveis.

 

A Realidade Virtual realiza a completa imersão do usuário com a utilização de óculos e demais acessórios que visam complementar a experiência. Já a realidade aumentada, uma variação da realidade virtual, busca a integração do mundo real com a imposição de objetos virtuais e informações utilizando dispositivos móveis, como tablets e celulares.

 

Para o engenheiro do Parque Tecnológico, Felipe Pinheiro Silva, o desenvolvimento de projetos nesta área é de extrema importância, pois mantém o laboratório na vanguarda do desenvolvimento de sistemas de monitoramento. “Além dos projetos na área, o PTI já publicou dois artigos sobre o tema em congressos internacionais”, ressalta.

 

Próxima etapa

 

A próxima fase do projeto, prevista para acontecer ainda para 2019, terá como foco a instalação do sistema que, além de coletar, processar, e mostrar as informações para o usuário, também vai realizar o armazenamento dos dados gerados, permitindo um acompanhamento histórico da condição dos motores. 

 

O Parque Tecnológico Itaipu está escrevendo o plano de trabalho, o qual deverá permear todo desenvolvimento de software e instalação dos equipamentos durante a execução do projeto.